Arquivo da categoria: Relatos Interessantes

Quinze ensinamentos de Ronald Reagan

40rr_header_sm

1) Temos de rejeitar a ideia de que cada vez que uma lei é quebrada, a sociedade é culpada, em vez do infrator. É tempo de restaurar o preceito de que cada indivíduo é responsável por seus atos.

2) Governos existem para proteger as pessoas das outras pessoas. O governo passa do limite quando ele protege as pessoas delas mesmas.

3) As nove palavras mais terríveis que existem são: “eu sou do governo e estou aqui para ajudar”.

4) A liberdade nunca está a mais do que uma geração de distância da extinção. Nós não a passamos aos nossos filhos na corrente sanguínea, ela deve ser protegida e entregue para que eles façam o mesmo.

5) Como você define um comunista? Bem, é alguém que lê Marx e Lenin. E como você define um anti-comunista? É alguém que entende Marx e Lenin.

6) Confie, mas verifique.

7) O governo é como um bebê. Um canal alimentar com um grande apetite numa ponta e nenhum senso de responsabilidade na outra.

8) O homem não é livre a menos que o governo seja limitado. Há uma clara causa e efeito aqui que é tão limpa e previsível quanto uma lei da física: conforme o governo expande, a liberdade diminui.

9) O propósito dos benefícios do governo deve ser o de eliminar, tanto quanto possível, a necessidade para a própria existência dos benefícios do governo.

10) O governo não resolve problemas, ele os subsidia.

11) O melhor programa social que existe se chama emprego.

12) Não espere que a solução venha do governo. O governo é o problema.

13) Um povo livre sempre escolhe a paz.

14) A história vai lembrar com perplexidade daqueles que eram os que mais tinham a perder e foram os que menos fizeram para prevenir o seu próprio fim.

15) Quando você não pode fazê-los ver a luz, faça com que sintam o calor.

Relatos Interessantes – Edgar Vivar (Seu Barriga) em seu último encontro com Roberto Bolaños (Chaves)

Roberto olhou para mim, me estendeu a mão e fazendo a voz fina do Chaves me disse: ‘Nossa Senhor Barriga, o senhor está magro, o que aconteceu?’, olhei para ele, respirei fundo e sem hesitar o respondi: ‘É que já não tenho mais de quem cobrar o aluguel Chaves…’, o abracei forte, fazia muito tempo que não o via, ele não se contentou e ainda me disse ao pé do ouvido: ‘Então o senhor não deve ter mais dinheiro para me levar para Acapulco…’, não me segurei e comecei a chorar…

Sem título

(Edgar Vivar, o Seu Barriga, em seu último encontro com Roberto Gómez Bolaños, no evento “America Celebra A Chespirito”, em Março de 2012).

Devemos assistir o filme-documentário Terráqueos (Earthlings)

O premiado documentário intitulado no Brasil de Terráqueos (Earthlings) chegou as telas youtubianas logo que começou a ganhar destaque no universo internacional, apesar de desconhecido o mesmo ja atingiu diversos sites (principalmente em prol a vida de animais) e o que causou um certo impacto na grande maioria de seus espectadores. Sejam esses impactos, repulsivos, depressivos e ideologico, mas acima de tudo filosófico para quem “consegue” chegar até o seu final. Impactante, informativo e provocando reflexões, TERRÁQUEOS é de longe o mais completo documentário jamais produzido sobre a conexão entre natureza, animais, e interesses econômicos

O documentário conta com a narração de Joaquin Phoenix (Johnny & June, Hotel Ruanda, Sinais e Gladiador), ninguém menos que um dos ativistas e atores veganos mais conhecidos da atualidade e música chocante e perfeita de Moby. O Filme-documentário  abrange a absoluta dependência da humanidade em relação aos animais (para estimação, alimentação, vestuário, diversão e desenvolvimento científico), mas também ilustra nosso completo desrespeito para com os assim chamados “provedores não-humanos”

Com um profundo estudo dentro das pet-shops, criatórios de filhotes e abrigos de animais, bem como em fazendas industriais, no comércio de couro e peles, indústria de esporte e entreterimento, e finalmente na carreira médica e científica, TERRÁQUEOS usa câmeras escondidas e filmagens inéditas para narrar as práticas diárias de algumas das maiores indústrias do mundo, as quais dependem de animais para lucrar.

Acredito que por mais impactante que seja este filme-documentário “deveria ser exibido em escolas, para que possamos aprender a respeitar os animais e a natureza o mais jovem possível”. TERRÁQUEOS é o tipo de filme que não se pode guardar, é preciso divulgá-lo para que mais pessoas conheçam a verdade sobre o tratamento cruel que financiamos aos animais. Por isso o site oficial do mesmo disponibilizou ele para download, basta você clicar aqui

Relatos Interessantes – Derrida e o terrorismo

O relato é do filósofo francês Jacques Derrida, no qual ele apresenta seus pensamentos sobre o 11 de Setembro de 2001, quando houve o atentado terrorista ao WCT. Jacques Derrida nasceu em El Biar, na Argélia, no dia 15 de julho de 1930 e faleceu em Paris, no dia 8 de outubro de 2004, e ganhou o Prêmio Jean-Cavaillè (1964) Prêmio Theodor W. Adorno (2001) pelas suas teses e trabalhos prestados.

Publicou trabalhos na área das ciencias sociais, recebendo destaque pela elaboração da teoria da Descon
strução e Logocentrismo. O relativo trecho foi tirado da obra Filosofia em tempo de Terror, da professora de filosofia Giovanna Borradori, publicado pela editora Jorge Zahar em 2004. Segue abaixo o relato:

Mais do que a Destruição da Torres Gêmeas ou o ataque ao Pentágono, mais do que a matança de milhares de pessoas, o ‘terror’ real costituiu na imagem do terror pelo alvo em si. O alvo (Estados Unidos) teve como interesse próprio expor sua vulnerabilidade, dar a maior cobertura possível a agressão da qual desejava se proteger.”

Relatos Interessantes – Habermas e o Terrorismo

O relato é do filósofo e sociólogo alemão Jürgen Habermas, no qual ele apresenta seus pensamentos sobre o 11 de Setembro de 2001, quando houve o atentado terrorista ao WCT. Jürgen Habermas nasceu em Düsseldorf, no dia 18 de Junho 1929, e ganhou o Prêmio Gottfried Wilhelm Leibniz (1986) Prêmio Kyoto (2004) pelas suas teses e trabalhos prestados.

Publicou trabalhos na área das ciencias sociais e comunicativas, recebendo destaque pela elaboração da razão comunicativa e a acção comunicativa. O relativo trecho foi tirado da obra Filosofia em tempo de Terror, da professora de filosofia Giovanna Borradori, publicado pela editora Jorge Zahar em 2004. Segue abaixo o relato:

Sem dúvida a incerteza do perigo pertence à essência do terrorismo. Mas os cenários de guerra biológica ou químicas pintados em detalhe pela mídia norte-americana durante os meses que se sucederam ao dia 11 de Setembro, as especulações sobre os vários tipos de terrorismo nuclear, tudo isso apenas trai a incapacidade que o governo tem de pelo menos determinar a magnitude do perigo.

Relatos Interessantes – Veterano brasileiro da 2ª Guerra Mundial, Raul Kodama

O relato de um dos veteranos brasileiros que lutaram pela FEB (Força Expedicionária Brasileira) e que sobreviveu a 2º Guerra Mundial, a FEB entrou no combate dia 16 de Julho de 1944 em solo italiano, tendo as primeiras vitórias em setembro do mesmo ano, contra as forças do exercito alemão de Hitler, já que neste período a Itália já havia assinado a rendição oficialmente. O Exercito brasileiro participou de grandes batalhas como a de Massarosa, Camaiore, Monte Prano e as principais dela Monte Castelo e Montese, de onde este relato se passa. 
O nome do veterano é Raul Kodama, ex-cabo do exército durante a segunda guerra e foi retirado de uma matéria da REVISTA HISTÓRIA DA BBC, na página 13 do exemplar número 11, segue abaixo o relato: 
“Enquanto esperava os outros soldados, passava um jipe com um de nossos oficiais e o motorista. Justo nesse instante, uma bomba nos atingiu. O oficial foi degolado e seu corpo ficou ali sentado, sem a cabeça. O motorista desapareceu. E Eu? Eu estava com a perna ferida e sai rastejando. ‘Que se danem as pernas’, eu pensava, ‘se ficar com a cabeça e o corpo, estou vivo’!”.

RELATOS INTERESSANTES – SOBREVIVENTE DE UMA DAS BOMBAS ATÔMICAS NO JAPÃO EM 1945

Segue abaixo um relato de uma mulher que foi uma das sobreviventes da bomba atômica de Hiroshima ou Nagazaki (não confirmado qual lugar). O nome infelizmente não foi divulgado. Mas adianto que trecho foi retirado da página 132 do livro LEITURAS DA MORTE, organizado por Christine Greiner e Claudia Amorim.

Uma criança pequena, com o corpo todo queimado, com a pele caindo aos pedaços, pedia para mim, também caída: ‘irmã, eu queria tomar água’. Peguei água de um rio próximo e levei até sua boca. A criança tomou contente e morreu.