Arquivo da categoria: Critica

A relação entre empregadores e empregados, uma simples análise sobre a relação de trabalho

Partindo do princípio é intrínseco que ambos os lados, empregados e empregadores, tenham o conhecimento das normas regulamentadoras consolidadas nas leis de trabalho, sendo que estes devem conhecer tanto seus direitos como seus deveres. Pode parecer utópico, mas não é, já que estas Normas Regulamentadoras são relativas à segurança e à medicina do trabalho, sendo exigências obrigatórias que devem ser cumpridas pelos setores privados e públicos.

Quando citei a utopia, foi sobre a relação f empregado e empregador, que muitos acham ser dois abismos unidos apenas por laços normativos e obrigatórios. Sim, infelizmente esta é uma das visões muito mais presentes nas massas trabalhistas que alegam não ter tanto “contato” com seus empregadores! Bom, partindo deste ângulo as normas criam não só um laço obrigatório judicialmente, mas servem como um fator de ajuntamento que pode e deve ser usado como motor de união ao sistema trabalhista dentro de uma empresa pública o privada.

Onde quero chegar? Bem, é simples esta resposta!

Este motor de união deve fazer com que as duas “classes” coexistam em harmonia dentro do seu espaço de trabalho, pois tanto o empregado quando o empregador saberão quais são seus direitos e seus deveres.

Se tratando do empregador deve ser de seu conhecimento que as normas regulamentadoras são requisitos detalhados que servem como prevenção de acidentes, protegendo assim a vida dos seus empregados e garantido que o sistema da empresa possa funcionar sem perdas.

Anteriormente eu citei que as NR’s tem uma função de unir empregado e empregadores e isso fica claro, por exemplo, quando vemos que o empregador deve sempre informar seu trabalhador sobre os riscos profissionais nos locais de trabalho, os meios para prevenir e limitar tais riscos e as medidas adotadas pela empresa, os resultados dos exames médicos, exames complementares e diagnósticos e os resultados das avaliações ambientais realizadas nos locais de trabalho.

Creio que essa comunicação entre ambos é que faz com que seu empregado cumpra por exemplo suas obrigações com os seus empregadores, como por exemplo:  usar o EPI fornecido, submeter-se aos exames médicos previstos, colaborar com a empresa na aplicação das NR’s e por assim vai.

Quando ambos caminham em conjunto o sistema funcional tanto no quesito judicial, como no quesito humano se fundem gerando uma harmonia na empresa, Nós TST’s temos como um dos objetivos criar estes laços humanos que aproximam o empregado do empregador e faça com que ambos não vejam seus companheiros como alguém inalcançáveis. Portanto as normas referentes as obrigações dos empregadores e dos empregados frente às normas de segurança e saúde no trabalho são fundamentais para a socialização do trabalho.

Com isso termino aqui minha breve opinião desejando como futuro técnico que tanto os empregados quanto os empregadores possam sempre conviver em harmonia no setor de trabalho, cumprindo suas obrigações e garantido seus direitos, protegendo um ao outro independente de seu cargo trabalhista, pois acima de tudo somos seres humanos, antes de apenas trabalhadores!

Anúncios

Religião e Ciência

images (6)

Os “crimes” cometidos por determinadas igrejas são igualmente horrendos aos cometidos em nome da ciência. Antes de julgarmos qualquer instituição ou grupo devemos lembrar que estes são formados por pessoas como eu e você ou como a ciência mesmo coloca, simples humanos.Portanto não podemos afirmar que todos os religiosos ou cientistas são pessoas que querem o bem ou o mal para a humanidade. Fica a reflexão!